quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Veneta

É difícil me compreender
Quando minhas lacunas
Na verdade são cheias
E invento meus universos
Avessos em apologias
Minhas desventuras errôneas
vendo tonalidade
Em sorrisos pálidos
e querendo enegrecer
Os insuportáveis
Minha poesia
(Nem minha prosa)
é bela não
Mas gosto assim
dentro de minhas linhas
navego e desfruto
do que me pertence
sem rimas nem caprichos
ornamentando o meu
carcerário
ser.

Nenhum comentário: