terça-feira, 15 de novembro de 2011

Riminhas bobas de abab

Minhas causas perdidas
Entre mil folhas amareladas
São desculpas vazias
De paixões fracassadas

Eu não temo o amor
nem dele sinto dor
também não sou oca
nem levo amantes na boca

Só sou assim
Mais minha que tua
Mas deixo que cuide de mim
Perambulando minha mente nua

Mas cuida bem cuidado
Não sou pequena, porém sou frágil
Me tenha apertado
Não solta meu coração, que’le é ágil

E, se assim for, a ti darei
Um amor sincero
Em teu corpo inteiro me roçarei
Mas, que seja amor mútuo, eu espero

Nenhum comentário: