terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Embora eu domine meus pensamentos,
não sou proprietária de minha linguagem.
Meu vocabulário existe autônomo
E perambula pela atmosfera só.
Minhas palavras são além do que sou.
Há algo de maligno no que digo
Que gosta de ser dito sem controle

Divertindo-se com minha incapacidade de renunciá-lo.