domingo, 13 de novembro de 2011

Semear

No cabeçalho eu guardei nossa saudade
Sinto falta disso, e sabe
Estou doente [tossindo]
Acho que o que tenho aqui travado
Na garganta e sussurrado
Vai ser despido de mim
Escandalosamente
Entre versos de bandejas.
Posso até estar mansinha
Precisando de dengo
E cheia, cheia de dejavú s
Mas tu sabes que em breve em brando
Grito surdo
Arranharei
Descabelarei
Dentre teus braços
Nossos amassos... 




Nenhum comentário: