quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Personale

E é sempre a mesma coisa. Você coloca o cigarro na boca antes mesmo de perceber que não faz a mínima ideia de onde está o seu isqueiro "Cadê, cadê?", você para pra vasculhar meticulosamente a sua bolsa e deixa porra do óculos de trezentos reais que tu suou pra comprar cair no chão, quando encontra a porcaria do isqueiro, acende e dá a primeira tragada, dá de cara num morro de trocentos metros que seu fôlego não aguenta pra subir. Isso tudo porque tua mãe está certa de que a filha é louca e faz questão de pagar outros duzentos reais semanais em consultas médicas que não te ajudam em nada, sem contar os incontáveis medicamentos que você re al men te precisa tomar pra justificar seu comportamento estranho e continuar sendo analisada como se você fosse um alienígena de quatro braços e olhos comedor de almas inocentes. Depois você é obrigada a criar longos monólogos pra explicar pros amigos a falta de grana pra beber nos finais de semana. E ai de ti se reclamar! Foi você que nasceu com o cu virado pra sei lá onde e nos faz gastar fortunas pra tentar conseguir consertar. A culpa é tua e tua família é santa! Tão te salvando! Você tem sorte, menina! Bate na boca e agradece o bom Deus que te deu essa família santa, vai pedir perdão, vai!


Nenhum comentário: