segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Longe de ser

e levanta
e arranca
a casca dura
toda manhã
da renovação
da concepção
um intermeio
da criação
do ser e
de novas moradas
e pensa
desestabiliza
pois
eu nunca mais serei a mesma
eu nunca mais serei
eu nunca mais
eu nunca
eu nunca mais serei a mesma

Nenhum comentário: