segunda-feira, 28 de maio de 2012

Estranho lembrar


Teus lábios há muito deixaram
Mistério ser, tornando perigo
E medo de atravessar em aventura
Pelas terras novas, mas perder-me
Das antigas linhagens de segurança

Será cálido peito esconde, pergunto-me,
O mais doce coração que até mesmo
Meu imaculado seio invejaria?

Saberemos o segredo universal
Pois navegamos desde céus remotos
Em busca da exaltação fatal
Nos queremos, nos negamos
E contamos a sina do amor perfeito.

Nenhum comentário: