terça-feira, 1 de abril de 2014

"Gosto de seus olhos e como me perco na sua escuridão. Escuridão infinita e sedutora, que prende-me instintivamente junto ao gracejo de palavras sussurradas ao ouvido. Teço a tênue linha do corpo e da alma, que segue dos toques de suas mãos até os meus mais profundo pensamentos. Nas entranhas de teus lábios, me consomem as neuroses e displicências, volto a essência: sou o ser, o amar, o lúdico, sou o que ainda não pode ser transitado."

Nenhum comentário: