terça-feira, 24 de abril de 2012

Cinco segundos


Gostaria de te escrever cartas bonitas
Possuir as mais belas palavras para narrar
o impecável timbre de tua voz que abala meu peito
a exatidão de teu olhar que me vibra e apavora
queria estar à altura de tua perfeição palpável

Mas não só do palpável queria me pronunciar
pudera eu ter tuas palavras no ouvido me enchendo de vontades!
Desejo te ter, céus! Como desejo
Se terei? Resta-me a sádica duvida...
de um improvável olá e ainda mais improvável beijo
que tanto sonho, tanto anseio!

Desperto já pensando, meu deus! Aquela boca!
Durmo já sonhando, meu deus! Aqueles braços!

Me ganhaste e me tens mesmo sem saber...
pois faço silêncio em todos meus trejeitos
Desastrada, tombei em teus olhos
que mal me notam! E já que não os tenho
os tenho ao fechar os meus, ansiosos
ao arquitetar da mais bela criatura que seria teu ser
Onde nosso filme caseiro
captura fotografias que escondo no íntimo da mente
desde mimos a obscenos toques
arranhões e sonoros puxões de cabelo
no emaranhado de teus lençóis
serão cor púrpura?

E teus olhos que nunca encarei por muito tempo? Verdes? Castanhos?
E a nossa música? Não irás jogar meu jogo?
Se jogar, joga o teu corpo no meu
Vamos de carnes e amores brincar de viver
já estou cansada de todo o entardecer
que permaneces perpetuando os últimos alcances em pensamento
onde me invades com tanta avidez me contando
as epopeias incríveis que jamais viveremos se não juntos!

Eu gostaria mesmo de te escrever cartas bonitas
proseando todo nosso romance inexistente!

Nenhum comentário: