quinta-feira, 28 de novembro de 2013

67

Há muito observo além
e tento compreender
as tuas linguagens
Através da sensibilidade
que não me pertence
vejo que como ontem
tu já não se amas
e que teu semblante confessa
o que teus olhos já condenam
Não és o definhar
és manhã e não o entardecer
como previamente anuncias
me aterroriza pensar
que aquela que me deu vida
a própria vida renuncia.

Nenhum comentário: