segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Retalhos

05:32
Te devo sorrisos.

05:55
[...] Ou talvez eu dramatize tanto a minha vida que tenha acreditado em todas as suas palavras. A vida parece me zombar, minha forma utópica de transformar tudo em amor. O que seria de mim, o que eu seria, senão a crença?! Eu me abasteço sim da esperança em dias melhores, pessoas maiores. Eu realmente acredito na alma... e a tua, a tua alma de cenho franzido me encanta. [...]

06:12
Só não volte se for pra partires.

Nenhum comentário: