quarta-feira, 6 de abril de 2016


Ao me invadir essa dor, todas as outras dores que vivenciei em meus caminhos tornam-se um sonho distante, transparentes. Tornei-me escrava dela, de forma que todas as manhãs, quando aspiro o ar então acordada, este é o primeiro pensamento que me ocorre. Trago cicatrizes desta dor e eu não sei o que é existir além disso.

Nenhum comentário: