segunda-feira, 22 de abril de 2013

Novel

Se minto é porque temo - porém
não minto, porque te amo.
Te amo e ainda sim temo
pois te amo veemente.

Transborda-me amor,
se te peço pra ficar
me calo, basta-nos o silêncio
Caio, tropeço no novo mas
entrego-me todos dias
desde o primeiro, sempre
um pouco mais.

Meus anseios de ti,
o mais eterno alcanço
nas tuas terras conquistadas
onde moras, dentro de mim.

Amo-te e
de corpo e alma
me entrego e me
integro ao que sinto
que é tão palpável
quase visível.

Amo-te, não posso negar
Amo-te porque te amo
e não há nada mais incrível
para amar.

E eu brinco de desconstrução
começar pela lembrança e
terminar nessa minha dança
boba de palavras simples.

E eu brinco pois te amo
brinco pois contigo tudo é lindo
e o íntegro é tão raro
tão confortável. Eu brinco
mas não minto, é verdade
assumo: eu te amo.

E tentam destruir,
mas não me importa
pois não há como entender
meu imutável amar você.

Nenhum comentário: