domingo, 2 de junho de 2013

1970

É verdade, mais comum do que você é ela. Pelos mais concretos e imparciais motivos, levada a crer nessa mente ordinária que a habita. Mais comum do que você é ela que observa em silêncio, que tenta e repete sempre e ininterruptamente demonstrar segredos que ninguém deseja perceber. Ainda mais comum do que isso é esse sentimento de diferença quando na verdade possui as marcas de uma identidade indiferente.  E o que a afoga é observar de fora o que arquiteta, como e quando começaram a se distribuir tantas certezas sobre ela? Certezas sobre ela que nada é. E tão instável, regurgita: sou a que mais e menos sabe sobre tudo aqui. Permita-se entrar, mas jamais entender ou explicar.

Um comentário:

José María Souza Costa disse...

CONVITE
Passei por aqui lendo, e, em visita ao seu blog.
Eu também tenho um, só que muito simples.
Estou lhe convidando a visitar-me, e, se possível seguirmos juntos por eles, e, com eles. Sempre gostei de escrever, expor as minhas idéias e compartilhar com as pessoas, independente da classe Social, do Credo Religioso, da Opção Sexual, ou, da Etnia.
Para mim, o que vai interessar é o nosso intercâmbio de idéias, e, de pensamentos.
Estou lá, no meu Espaço Simplório, esperando por você.
E, eu, já estou Seguindo o seu blog.
Força, Paz, Amizade e Alegria
Para você, um abraço do Brasil.
www.josemariacosta.com